“Lisboa nasceu, pertinho do céu!”

A capital portuguesa foi hoje eleita o “Melhor Destino Europeu 2010” pela Associação dos Consumidores Europeus.

Deixando para trás cidades como Londres, Barcelona, Copenhaga, Berlim ou Praga, Lisboa saltou para o topo das escolhas dos consumidores europeus, que elegeram a capital portuguesa como o “Melhor Destino Europeu 2010”.

(…)

A Associação dos Consumidores Europeus diz em comunicado, também citado pela ‘Briefing’, que Lisboa foi escolhida porque reflecte “uma cidade que soube preservar toda a sua alma e oferecer uma porta de entrada ao Turismo, sem esquecer as suas riquezas sociais e culturais”.

fonte: Diário Económico

Arquitec…oops.

“Manda” o código deontológico do Engenheiro Civil dizer mal a torto e a direito dessa outra classe que são os Arquitectos… E vice-versa. É das coisas que mais tenho aprendido ao longo destes quase dois anos de vida académica.

Pois bem, eu poderia vir para aqui fazer isso, mas como até nem sou má pessoa (bem pelo contrário), não faço. Venho, sim, estampar um verdadeiro ícone da visão que tenho do «belo», no meu pobre conhecimento sobre Arquitectura. O autor é o americano Steven Holl com o qual estou a ter o previlégio de “trabalhar”.

2004, Long Island, NY, EUA.

Enjoy it.

É.

Well I can’t explain why it’s not enough
Cause I gave it all to you
And if you leave me now
Oh just leave me now
It’s the better thing to do
It’s time to surrender
It’s been to long pretending
Theres no use in trying
When the pieces don’t fit anymore
The pieces don’t fit anymore.


«The Pieces Don’t Fit Anymore» – James Morrison

Cinzento

Sinceramente, há dias em que não vale a pena deixar, ainda que por breves instantes, a suposta e silenciosa tranquilidade que a minha cama me concede…

Mudanças

Os sismos e todas as tragédias e mais algumas têm-se multiplicado todos os dias. O Sporting lembrou-se de começar a jogar à bola no final da época. A cadeira de Electromagnetismo e Óptica está, não sei como, no papo. Ou melhor… Sei, mas não foi obra do Espírito Santo. Posto isto, está algum burro para cair do céu?

Ou será por nos estarmos a aproximar perigosamente do ano 2012 que, na cabeça de muitos tarados, é o início do fim? Desculpem-me aqueles que acreditam que daqui a menos de dois anos restarão apenas as cinzas das nossas tripas, mas mais depressa acredito num burro a cair do céu do que numa previsão anunciada do fim do mundo. Tudo há de ir para o galheiro um dia, sim. Porém, o dia seguinte é sempre uma incógnita. Quanto mais, previsões a um prazo somente comparável à idade de Manoel de Oliveira…

Não sabemos o futuro. Nem adianta tentar saber o que quer que seja, pois somos nós que fazemos o amanhã.

“Esta foi impressionante, sem dúvida.”

Filipe de Almeida Fernandes Soares

(1990 -, Historiador)