Reflexões de meia-noite

Felicidade é sempre relativa para quem a procura realmente.

Quem a procura, espera sempre mais. Mais do que antes. Se cada «antes» for um dia e essa busca for diária, é fácil concluir que passamos uma vida a correr atrás dela. O que pode não chegar se permanecermos taciturnos a ver o barco partir, afastando-se lentamente do alcance dos nossos olhos. Talvez aí nos aperceberemos que já será tarde e o sentimento de culpa nos fará companhia até ao fim das nossas vidas.

Empiricamente, apercebo-me que o absoluto é inatingível face à impossibilidade da perfeição do ser Humano. Independentemente das lições que o meu percurso me trará e de quem se puser nesse caminho, terei sempre defeitos. Facto que muitos não gostarão de assumir, mas que para mim é por demais evidente. Assim como terei fragilidades, haverá, porém, certo lugar em mim para qualidades. E sei que uma delas, desprezando a eterna capacidade de sonhar que me acompanhará até ao último momento, é ter a consciência que não deixo escapar as coisas em que acredito. Só isso me permite tentar alcançar um pouco mais este estado de alma que hoje descrevo.

Felicidade não é uma opção. É um objectivo que deve ser perseguido.

Nova Iorque…?

in 24 Horas, 20/05/10

Provavelmente contar-se-ão pelos dedos de uma mão o número de pessoas que percebeu a mensagem aqui implícita, mas é a vida. Não se pode perceber tudo, não é verdade? A vida é cheia de enigmas…

E já agora. Os Festivais de Verão estão aí. Vão dando uma olhadela pelos cartazes. Este não é o melhor. Tentem algo mais vivo.

Papices

O Papa vem a Portugal e o país vai parar. As escolas vão fechar, os alunos do ensino superior não vão ter aulas. Menos eu. Só para variar e tal. Quando os professores nos perguntam se estamos a ponderar ir ver o rapaz ao Terreiro do Paço, o único ruído que contraria o silêncio nos anfiteatros são os nossos risos. E o dos próprios “docentes” também. É uma risada isto.

Rezem muito por Nossa Santidade. Pode ser que não hajam surpresas na última jornada do campeonato e que eu passe às cadeiras todas.

Ámen