Deu-me para o rap. yô.

Todas essas privações
De querermos sempre mais
São meras complicações
Desta existência sombria
Repleta de oscilações!

Esses modos de sorrir
De abrir a boca e partir
Qualquer rumo de vida
De quem não dá por vencida
Essa luta renegada
Numa viagem merecida!

Nada que ache estranho
Neste mundo de tachos
Em que tu e eu, meros pulmões
De um ambiente em que o tamanho
Gera grandes desilusões!

Mas não se iluda quem
Por um segundo apenas
Se imagine no topo da cadeia
E no meio da brincadeira
Fica preso nesta teia
Morrendo de qualquer maneira!

É aqui que o céu se abre
E os nossos olhos fixam
Essa quimera onde cabem
Brandos lumes que atiçam
Corações que nunca sabem
Sentimentos que enfeitiçam!

JP

Anúncios