Primeira crítica

Transcrevo, nas próximas linhas, um breve excerto da primeira crítica nacional ao meu Livro Palavras de um Sonho por parte do blogue literário “As Leituras do Corvo“, por Carla Ribeiro.

O mundo como o vemos e como o sentimos. Sombras e anseios, conquistas e derrotas, sonhos deixados por concretizar e passos em direcção a um coração mais aberto. De tudo isto, e talvez um pouco mais, falam os poemas deste livro que, numa voz simples, da qual emergem pontuais laivos de brilhantismo, tem tanto de pessoal como de universal. (…)”

Para ler a crítica na íntegra, visite o blogue em http://asleiturasdocorvo.blogspot.pt/2015/02/palavras-de-um-sonho-tiago-pereira.html

É de pequenino…

Aconselho vivamente a assistirem ao surpreendente episódio que teve lugar durante uma palestra de Neil deGrasse Tyson sobre Astrofísica, em Boston, nos EUA.

Aos 6 anos, fazia eu o quê…brincava com os LEGO’s?!…

Significado de Amar

Não és tu a mulher que mais amei
Pela tão simples razão de só agora
Eu saber o significado de Amar.
E agora que o sei, amo amar-te.
É agora que deves ficar a saber
Que não posso mais largar-te.

Amo até a espontaneidade ridícula
De estremecer quando te vejo descer
Pelas escadas do céu em direcção a mim
Como se apenas te pudesse conceber
Ao sabor do louco desejo de satisfazer
As tuas prazerosas insanidades sem fim.

E se nascer em mim o súbito medo
De que eu seja tão somente uma parte
Das sensações que queres conhecer,
Deixa-me que te conte um segredo:
Há por aí quem mais queira adormecer
Neste peito onde um dia sonhaste viver.

Deixa-me guardar-te para mim.
Deixa que este teu bem conhecido nome
Ouse um dia levar-te a dizer “sim“.
E que recordes esse dia como o primeiro
De todos os dias que nos pertencerão.
Serei uma inteira alma na tua mão.

23/02/15

Wow

Chiado Editora

O tempo vai passando e, como forma de divulgação do meu mais recente trabalho, a minha Editora tem-se encarregue de partilhar alguns excertos das minhas Palavras de um Sonho. Começo a ficar seriamente “assustado” com a crítica positiva que a minha Escrita começa a ter, não só em Portugal, como também no país irmão, Brasil! Não que me assuste pelo facto de existirem pessoas dispostas a lerem-me – e com agrado! – mas porque sou apenas um jovem de 24 anos que ainda pouco sabe desta vida. Um jovem muito verde, ora bolas!!

Contas feitas, existe já o compromisso por parte de três blogues literários em realizarem uma crítica/resenha ao meu Livro, encabeçados por pessoas que vivem do outro lado do Atlântico e que têm na leitura uma das suas grandes paixões. E, claro está, o mesmo se passará no país que me viu nascer!

Face às mensagens que tenho recebido a propósito de como poderão adquirir o meu primeiro Livro, presto agora o seguinte esclarecimento:

«Palavras de um Sonho» | LOCAIS DE VENDA (Actualizado em 22 de Fevereiro de 2015)

– Livraria DESASSOSSEGO | Rua de São Bento, Nº34 | 1200-815 Lisboa

– Livrarias online (para todos os países):

– Em PORTUGAL, poderá também encomendar este Livro em qualquer balcão de uma loja FNAC.

– No BRASIL, a Obra encontra-se também disponível para encomenda em todas as redes de livrarias SARAIVA e CULTURA.

Indico, ainda, mais uma vez:

palavrasdeumsonho@gmail.com

Encerro, finalmente, o post mais comercial da história deste blogue. Creio, contudo, que entenderão que tenho que, de alguma forma, responder a todas as pessoas que me têm contactado.

Muito obrigado pela paciência! :)

Tiago

Sabor amargo

Que instinto mais humano
O de desejar o cruel inferno
A todo o ser mais tirano
Que um dia já nos foi terno.

Largar a mão de quem
Não hesitou em rebaixar
A nossa vontade de bem.
A nossa força de amar.

Enterrem-se os momentos
E essa alma que se dane.
Que a leve os ventos!

Pobre sina infame
A de quem teve intentos
De ter alguém que os ame.

11/02/15

Tudo branco

Penhas da Saúde, Serra da Estrela, Fevereiro 2015

WP_20150211_010

Por vezes esqueço-me que estou em Portugal. Enquanto me volto a lembrar que também temos lugares assim…

Let it snow, Let it snow, Let it snow…  ♫♩♫

O calor da noite é sábio e sabe onde fica o coração.

01/07/08

A subversão do viver

Um mês após o lançamento do meu primeiro Livro, é com uma satisfação enorme que partilho a notícia de que um dos meus poemas foi seleccionado para integrar a Obra “Entre o Sono e o Sonho“, VI Antologia de Poesia Contemporânea, composta por poemas da actualidade poética portuguesa!  A Obra será lançada em Março deste ano pela Chiado Editora, por ocasião da comemoração do Dia Mundial da Poesia.

O poema seleccionado é um inédito, nunca antes publicado aqui no meu 24, e que se intitula «A subversão do viver».

Rasguem-se os livros.
Quebrem-se as regras.
Saltem-se os muros,
Soltem-se as feras.101

Ouçam-se os burburinhos.
Digam-se as verdades que doem.
Acabem-se com os tristinhos
E com as ilusões que corroem.

Destapem-se todos os véus.
Mostrem-se os simples rostos.
Joguemos este jogo de réus
A favor dos nossos gostos.

Reinvente-se a vida
E um novo modo de viver
Que dê como perdida
Esta luta pelo poder.

Aprendamos a amar
Quem o mereça de facto.
E quiçá alcançar
Esse Sonho mais alto!

in Palavras de um Sonbo, Tiago Pereira, Chiado Editora, 2015

Mais do que uma simples reflexão em verso sobre aquilo que eu penso ser o panorama da vida humana nos nossos dias, é inquestionavelmente um grito de revolta. A estupefacção perante o estado a que a sociedade chegou, movida por interesses económicos e jogos de poder hierarquizados por “status” sociais. Uma educação promovida com base em conservadorismo e padrões que nos indicam para onde deveremos ir, ao invés de nos ensinarem a questionar por nós mesmos para que direcção queremos ir. Conversas de várias índoles, repletas de falatórios sobre tudo e todos, seja porque a nossa vida não nos preenche da maneira que quereríamos ou porque, e principalmente, julgamos a nossa existência bem mais triste que a dos demais. Então, teremos sempre essa necessidade de nos compararmos aos outros, esses outros que tomamos por modelos, por qualquer motivo que nos foque a atenção.

Mas enquanto respiramos, teremos sempre nas nossas mãos, nas nossas palavras, nas nossas acções, o poder para mudarmos a nossa vida. Reinventar a felicidade. Redescobrirmo-nos a cada instante. Feliz ou triste, é a sucessão desses instantes que dita a nossa experiência e o olhar pelo qual, dia após dia, encararemos o nosso próximo passo.

A mágoa e o sorriso são as armas mais poderosas que temos à nossa disposição para viver. A primeira porque traduzirá momentos em que sofremos e erros que cometemos. Permitirá, contudo, a dádiva que é a possibilidade de sermos sempre melhores. A segunda, por seu turno, será o expoente máximo de algo bom que fizemos ou por nós fizeram.

E viver é mesmo isto. Subverter a ordem das coisas. Somos nós que ditamos essa ordem, se assim nos faz felizes.

Distância intacta

Todos à espera do que não têm e o que não têm a não querer esperar por eles. Vamos atrás e o alvo afasta-se.

E é, assim, que essa distância permanece intacta, como se todos, estáticos, assistíssemos à passagem do tempo.

Saber pensar

Saber escrever
E não saber pensar.
Eis a inutilidade da inteligência.

Letras por nascer
Sem um porquê de respirar.
É condenar uma página à demência.

Saber escrever
E saber pensar.
É poder dar voz à consciência!

Saber escrever
E saber pensar.
Ter como perpetuar a vivência!

 

04/02/15