Houve o tempo

Houve o tempo
Em que o sorriso chegava
E enquanto o tempo parava,
Louco bastante eu te dava
O quanto te amava.

Houve o tempo
Em que tive como certo
O teu olhar deserto
De quem quer por perto
Alguém sempre desperto.

Houve o tempo
Em que a distância feroz
De um medo atroz
De que ficássemos sós
Tomou posse de nós.

Houve o tempo
Perdido num espaço,
Sem dor nem cansaço,
Selado num abraço
De um amor a compasso.

Houve o tempo
De um Querer comum,
Sem motivo algum,
Em que eu e tu
Fomos metades de um.

Houve o tempo.
Todo este tempo.
Ido com o vento.
Morto sem cabimento.
E o teu olhar era o meu alento!

30/03/15

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s